pten
  • 10
  • 2
  • 7
  • 9
  • 3
  • 12
  • 8
  • 13
  • 14
  • 14
  • 12
  • 6
  • 11
  • 1
  • 5
  • 13
  • 11
  • 15
  • 4

Em Rede  Ligações  Grupos de trabalho     

emRede - folha informativa

Redes Rurais EU 

Rede ENRD

 

EIP-AGRI

IFAP

 

 

Portugal 2020

PDR 2020

Prorural

Proderam2020

 Presidencia UE - Estonia

WhatHorizon2020

gpp

Dificuldades dos CCA

DO PONTO DE VISTA DO PRODUTOR

 Dificuldade em garantir uma quantidade, variedade e regularidade na oferta de produtos que satisfaça as exigências e necessidades dos consumidores.

 Necessidade de adquirir novas competências para desempenhar outras funções para além de agricultor: transformação dos seus produtos e comercialização (apresentação dos produtos, rotulagem, publicidade e marketing, detetar oportunidades de negócio, identificar e selecionar locais e modalidades de venda, gerir uma carteira de clientes).

 Necessidade em estar sempre atualizado e informado sobre a legislação e medidas de apoio.

 Dificuldade em gerir o tempo, pela acumulação das atividades de produção, comercialização e eventualmente de transformação de produtos.

 Necessidade de adquirir ou adaptar instalações e equipamentos para garantir o transporte e a comercialização dos produtos e em alguns casos a sua transformação (veículos adaptados, cadeias de frio, locais para embalamento, rotulagem e venda, instalações e equipamentos para a transformação).

 Dificuldade em garantir o financiamento do investimento necessário às diferentes atividades, por inexistência de capitais próprios ou por dificuldade de acesso ao crédito bancário.

 Inexistência de uma cultura de cooperação e de organização dos produtores.

 Dificuldade em garantir as exigências legais requeridas para o exercício da sua atividade, muitas vezes por inadequação destas à dimensão destas produções e das empresas.

 Distância em relação aos centros urbanos ou locais de venda.

 Dificuldade de aquisição de novas competências por inadequação dos formatos e conteúdos das ações de formação existentes.  

DO PONTO DE VISTA DO CONSUMIDOR

 A oferta de produtos é pouco diversificada e irregular (porque respeita a sazonalidade dos produtos) em relação aos seus hábitos de consumo.

 Os horários e locais de comercialização não são os mais adequados às exigências e hábitos dos consumidores.

 Dificuldade no acesso a informação clara sobre locais, horários de comercialização e outas especificações sobre os produtos e produtores.

 Em alguns casos, dificuldade em cumprir a regularidade dos compromissos de consumo exigidos (aquisição regular de cabazes, aquisição de produtos pelo comércio e restauração local).

 Inexistência de cultura de cooperação e de organização dos consumidores.

 Falta de informação sobre os benefícios destes produtos e formas de comercialização.  

DO PONTO DE VISTA DO TERRITÓRIO

 Pouca sensibilidade dos decisores e técnicos aos benefícios dos CCA para os produtores, consumidores e economia dos territórios.

 Insuficiência de estratégias territoriais enquadradoras da criação e promoção dos CCA.

 Ausências de estratégias de informação e comunicação sobre as CCA que existem nos seus territórios.